A TRAGÉDIA DA VIDA- PROVOCAÇÕES FILOSÓFICAS Nilo Deyson

FILÓSOFO, ESCRITOR, POETA, COLUNISTA & PALESTRANTE Nilo Deyson Monteiro Pessanha, Trás aqui uma reflexão sobre a tragédia da vida.

” Nenhuma coisa boa torna torna seu possuidor feliz, à menos que sua mente esteja habituada com a possibilidade de perda. ”

A tragédia da vida, em meu ponto de vista, acontece logo no início da vida adulta quando uma pessoa aceita a negação deste mundo em obediência incondicional à qualquer estrutura, força ou organização que convença que a vida que vale a pena está fora do agora, isto é, que a vida boa está no futuro.

A negação desta vida mata a própria atividade de viver, mata possibilidades das experiências acontecerem. Infelizmente os seres humanos não sabem lhe dar com a sua própria vida de modo independente e organizado, definido e autêntico.

Muitos buscam na religião uma segurança para viver essa vida. Elas não sabem resolver seus demônios, traumas, medos e por falta de conhecimento, elas são presas fáceis das organizações que manipulam e dominam as massas que não possuem estudos e conhecimento.

A tragédia é algo muito forte, onde ninguém espera por uma tragédia; seja ela de ordem natural advinda da própria natureza, conforme ocorreu em Petrópolis, ou seja ela de ordem social em termos gerais, como o que aconteceu na Ucrânia em relação à Rússia. Ninguém espera por uma tragédia, porquanto ela ocorre subitamente. Na vida, ela também acontece de tal forma que, destrói uma vida que poderia ser tão bonito e admirável, mas pelas circunstâncias, essa tragédia é o retrato da vida do próprio sujeito em si, que observa seus frutos e vê o quanto ele perdeu de tempo nesta vida sem refletir o que estava fazendo com a própria existência.

O fato é que, a tragédia em termos gerais, é quando o ser humano que não é nada, não compreende que ele observa e contempla o próprio nada, isto é, ele sendo nada, o universo nada sendo, o nada observa o nada, e admira  sua própria existência no silêncio, sem necessidade de ir ao futuro, quiçá ao passado, porquanto que, inevitavelmente, em mente, no pensamento, na memória, tudo, absolutamente tudo acontece no agora.

Neste sentido, essa tragédia da vida se torna forte e leva o indivíduo ao vazio existencial e depois ele desaparece, morre no esquecimento da própria insignificância.

Entretanto, se você compreender que, nada sendo e contempla o nada no mundo externo, você terá grande probabilidade de ter uma existência com leveza e paz. Abandone portanto suas paixões, fique livre, solto. A liberdade requer responsabilidade e o emprego da moral, da ética e do conhecimento que engloba muitas ferramentas em si.

A tragédia da vida é quando você deixa de viver sua vida, e permite que alguém te conduza. A vida é única, você deve tomar as rédeas da própria existência, ter coragem de não esperar por ordem de ninguém, sem amuletos, sem guru, sem mestres; sendo portanto, seu próprio instrutor baseando-se em conhecimento. Neste sentido, o conhecimento é o literário, filosófico, bem como suas experiências com o divino e sua postura equilibrada e centrada na sabedoria. Não deixe que ninguém domine seu modo de pensar ou de se expressar. Apesar da importância em você avançar no desenvolvimento como ser humano por meio dos estudos e pesquisas; ainda ainda assim, não ande dependendo de pastores, padres, gurus; seja responsável pela sua vida. O nada contempla o nada, pois você não vai perder nada, pois nenhuma coisa boa torna torna seu possuidor feliz, à menos que sua mente esteja habituada com a possibilidade de perda. Essa vida não vai se repetir, então aproveite sua passagem e viva com intensidade.

Para finalizar, sugiro que assistam no YouTube, no canal: Filósofo Nilo Deyson, temas relacionados à este, com conteúdos profundos para melhorar sua vida. Portanto, espero você lá no YouTube e depois, SIGAM o Facebook Nilo Deyson Monteiro Pessanha.

” Em que devo me apegar no teatro da vida se tudo é interpretação? São tantas bobagens que nada neste mundo profano me chama atenção senão os livros, os debates construtivos e assim sou seletivo até com quem quero ouvir, andar, ler ou falar. Me permita ficar com você que ainda vai me ler em outros lugares  – Sigam: Colunista Nilo Deyson ”

 



FILÓSOFO, ESCRITOR, POETA, COLUNISTA & PALESTRANTE. Fundador da Filosofia da imparcialidade participativa. Autor do livro de Filosofia Todos os Corações do mundo, e do Livro O Teatro da vida e a interpretação das coisas, quem nos garante ser verdade das coisas. Membro de diversas instituições culturais como por exemplo, é imortal acadêmico da Academia de Letras do Brasil seccional Campos dos Goytacazes, é imortal Acadêmico da Academia Pedralva Letras e Artes, ocupante da cadeira n°17 , Fundador do NAISLA, Núcleo Acadêmico Italiano di Scienze, Littere e Arti. Membro de diversas instituições. Nilo Deyson Monteiro participou de diversas antologias, periódicos e muitos de seus trabalhos acadêmicos estão no Google ao pesquisar Filósofo Nilo Deyson.

Diga-nos o que achou do post: