A SERVIÇO DA FILOSOFIA – NILO DEYSON MONTEIRO PESSANHA

” Sou meu destino, se não for eu, quem será? Aceito estar sempre comigo para onde eu for, irei me levar. “

Se me tirarem a caneta tentando me impedir de escrever, posso escrever na areia, no vidro do carro embaçado ou em qualquer outro lugar, somente quero escrever, preciso escrever. Estou em sacerdócio acadêmico, sou parte de alguma coisa maior do eu.

A serviço da filosofia, sou filósofo e nada sei que sou, porquanto nada sendo me faço tudo por tudo e contudo tudo penso, nada sou senão tudo que faço ser sou.

Nenhuma coisa boa torna seu possuidor feliz, à menos que sua mente esteja habituada com a possibilidade de perda. Estarei livre sem medo de perder posição social, religiosa ou bobagens como essas, apenas livre estou, estarei sem nada me apegar, logo sei no universo onde é o meu lugar.

Sou Filósofo para organizar o turno enquanto vida das pessoas, sem muita pretensão, apenas uma pitada de vaidade intelectual que por sinal não me faz vibrar, aliás, não consigo vibrar tanto com nada, pois penso que tudo é um monte de nada, porquanto fora da linguagem tudo é silêncio e debaixo do sol tudo vaidade.

Estou à serviço da filosofia, sou artista, sou magia. Gosto de escrever, não vivo sem escrever e penso que através da escrita minhas dores se vão, depois retornam no eterno retorno. Sei que muitas pessoas que enfrentam problemas diversos, se tivessem acesso aos condicionamentos ou parte do que tenho, certamente teriam uma vida com leveza e tranquilidade, paz de espírito.

Saber ficar à sós comigo mesmo é tudo.

Amo minha solidão, sou solitário e o mundo é uma porcaria, pois tudo que ponho meus olhos é uma proposta de verdade, apenas uma versão, porém, quase nada se sustenta. Mas eu levo essa vida na boa, afinal, eu não tenho muito à reclamar da vida. Deus foi generoso comigo e amo ao meu Senhor Jesus, logo tenho uma vida de paz. Porém, acho a vida complexa, difícil nessa vida tão plural. Quero que todos se encontrem com a paz interior.

Como Filósofo, tudo que vejo no mundo, desde os sistemas políticos, religião, sociedade e outros, eu vejo uma verdadeira desordem naquilo que deveria ser organizado. O MUNDO não tem cura, os homens estão se perdendo desde o início da estória “não história “.

Minha missão é ajudar pessoas com a caridade, serviços prestados em sigilo sem ego, sem aparecer. Minha missão é cuidar de gente com a reflexão filosófica. Gosto de fazer as pessoas pensarem criticamente. Enfim, a serviço do fim, sou 100% filosofia, isto é, não sou meio, sou fim.

” Sou um escritor solitário, reflito comigo e encontro em mim um monte de eu. Todos eles se sentam comigo na mesa, são muitos em mim, sou todos filosofia. “

FILÓSOFO NILO DEYSON MONTEIRO PESSANHA



FILÓSOFO, ESCRITOR, POETA, COLUNISTA & PALESTRANTE. Fundador da Filosofia da imparcialidade participativa. Autor do livro de Filosofia Todos os Corações do mundo, e do Livro O Teatro da vida e a interpretação das coisas, quem nos garante ser verdade das coisas. Membro de diversas instituições culturais como por exemplo, é imortal acadêmico da Academia de Letras do Brasil seccional Campos dos Goytacazes, é imortal Acadêmico da Academia Pedralva Letras e Artes, ocupante da cadeira n°17 , Fundador do NAISLA, Núcleo Acadêmico Italiano di Scienze, Littere e Arti. Membro de diversas instituições. Nilo Deyson Monteiro participou de diversas antologias, periódicos e muitos de seus trabalhos acadêmicos estão no Google ao pesquisar Filósofo Nilo Deyson.

Diga-nos o que achou do post: