A SAÚDE DO CÉREBRO.

Rio, 12/06/2022.

 

Escrito pelo colunista: Antonio Chaves.

 

A SAÚDE DO CÉREBRO.

No final deste texto este colunista vai dar umas pequenas dicas de como exercitar o nosso cérebro.

Até pouco tempo atrás, acreditava-se que a estrutura do cérebro mudava pouco ao longo dos anos. Era como se o cérebro fosse algo estático, e se alguma coisa acontecesse com ele, bem, a consequência seria sentida por toda a vida. Hoje, sabemos que o cérebro é mais dinâmico do que imaginávamos. Ele se reorganiza com frequência, otimiza suas funções, busca maneiras novas e mais inteligentes de funcionar. Tudo para que nós estejamos, sempre, aproveitando ao máximo nossas capacidades cognitivas.  O corpo, o emocional e a mente, trabalham juntos todos os dias, em todos os momentos, sob intensa harmonia. Nossa saúde é o resultado da ligação entre estes fatores. Ficar irritado, triste e estressado gera efeitos negativos, não apenas em seu emocional, mas também em seu físico.

E o contrário também é verdade: para estar 100% de bem com a vida, mente e corpo devem estar alinhados, focados no objetivo comum de atingir o equilíbrio e a paz interior. A Ciência tem feito incríveis descobertas sobre as propriedades curativas e preventivas de atividades como a meditação e a terapia para a saúde do cérebro e do corpo. Pessoas calmas e que levam a vida com leveza correm riscos menores de desenvolver diversas doenças neurológicas. Elas, também, possuem maior autoestima e conseguem manter o cérebro afiado por mais tempo. Esses benefícios estão intimamente ligados ao autoconhecimento. Os melhores cuidados preventivos com a memória estão na manutenção de uma dieta equilibrada, ter horas de sono suficientes. A atividade cognitiva que mais utiliza a memória é exercitada pela leitura. Para tanto, estratégias devem ser exploradas por cada pessoa até que se descubra quais são as mais facilitadoras. Quanto mais nos estimulamos com atividades desafiadoras, tais como leitura, escrita, análise crítica e reconto de filmes, episódios de seriados e de livros, jogos de planejamento estratégico e a própria atividade de trabalho, associadas as atividades esportivas, e de lazer com condições de saúde controladas, maior será nossa reserva cognitiva.

Há exercícios neuropsicológicos que podem estimular a memória.  Vivemos sob alto nível de estresse, mudanças econômicas, tensões familiares, overdose de tecnologia, demandas de trabalho, enfim, tudo gerando uma preocupação incessante. Embora algumas pessoas já tenham aprendido a simplesmente lidar com isso, se não controlarmos a intensidade do estresse, ele pode impactar nossa habilidade de pensar com clareza e tomar boas decisões, no curto prazo, e até mesmo prejudicar nosso cérebro no longo prazo. Estudos recentes mostraram que estresse crônico pode levar à depressão e, inclusive, aumentar o risco de declínio cognitivo, trazendo sintomas de Alzheimer. Então, sob estresse constante, o corpo não consegue reagir bem, manifestando doenças como diabetes e pressão alta. Estes eventos bloqueiam a formação de novas conexões neuronais no hipocampo, a parte do cérebro responsável por decodificar novas memórias.

Quando novas conexões são bloqueadas, o hipocampo pode realmente diminuir de tamanho, o que dificulta a memória.  Muito estresse pode nos deixar esquecidos, desmotivados e mentalmente exaustos. Então, aqui vão algumas dicas para você limitar efetivamente o nível de estresse e aumentar sua resiliência emocional, para que não apenas você tenha um melhor desempenho no dia a dia como também proteger o seu cérebro dos efeitos nocivos do estresse. Com a revolução tecnológica que tem acontecido nos últimos anos, cada vez mais estão sendo valorizadas as características humanas. Dessa forma, os espaços passam a ser construídos com foco nas pessoas e sua capacidade criativa, comunicativa e colaborativa. O contato com a natureza e a diversidade sensorial e de ambientes são exemplos disso. A escolha de materiais, a criação de ambientes alternativos de ocupação, são pontos chave no projeto de um espaço saudável e eficiente, das mudanças que o mundo corporativo vem sofrendo, como na sua saúde física e mental.

 

DICAS IMPORTANTES:

– Como estimular os dois lados do cérebro.
Tente realizar tarefas que ampliem a sua área de conforto. Crie oportunidades para que você possa ultrapassar barreiras e estimular o seu cérebro.

– Conheça novas pessoas e lugares. Não fique na mesmice. Ao invés de fazer seu trabalho de faculdade no seu quarto, leve o seu notebook até uma biblioteca, por exemplo. Quando for a uma festa, converse com outras pessoas e crie novas amizades. Ao fazer isso, você estará sempre estimulando o seu cérebro a absorver novas informações e se adaptando a novas situações.

– Fazer o incomum, isto é, se você tem o hábito de usar o relógio no punho direito, passa a usar no punho esquerdo. Faça mudanças de moveis, faça palavras cruzadas e caça palavras. (Namastê).



Nasci em 1959 no Rio de Janeiro e venho de família humilde. Lutei muito para chegar onde ainda contínuo chegando. Comecei a me interessar pela poesia ainda na adolescência. Onde eu escrevia pequenos trechos. Foi quando comecei a sentir uma vontade enorme de me expressar através desses trechos. Comecei a sentir uma profunda sintonia com o meu modo de ver e de sentir. Desses pequenos trechos, fui juntando cada frase que escrevia, até surgir a arte da poesia na minha vida. A partir desse momento, comecei a participar de vários Concursos Literários. E não parei por aí. Comecei a participar de Antologias Literárias, ganhando vários Certificados de Participações. A minha primeira antologia foi com o tema "MEU BRASIL BRASILEIRO" (2013), a segunda com o tema "BRASIL de A a Z" (2014), a terceira com o tema "FAZENDO AMOR COM A POESIA" (2015), a quarta com o tema "TODAS AS MULHERES DO MUNDO" (2017), a quinta com o tema "ANUÁRIO DE ESCRITORES 30 ANOS" (2018). O meu primeiro livro publicado Infanto-juvenil, o INDIOZINHO GUARANI (2018). Estou indo para o meu segundo livro, que está em análise na editora. Está pensando que estou com a intensão de parar? Está redondamente enganado. Não tenho esta intenção. Estou escrevendo outros. Me formei em Bacharel em Publicidade e Propaganda. Fiz o curso Técnico de Enfermagem. E o destino quis, que eu cuidasse de vidas humanas. Sou Servidor Público Estadual. Escritor. Colunista do jornal de grande expansão no Mato Grosso do Sul. Colunista do site Pensar bem viver bem em São Paulo. Colunista da Revista Statto no Rio Grande do Sul. Eu me defino como um ser em mutação porque estou em busca de ideias inovadoras para minha vida. Quero concluir, lembrando a todos, que a figura do professor é a principal referência de nossas vidas e precisamos garantir o direito à leitura no sentido geral. Que esta minha história de vida, possa incentivar aos mais jovens, que dizem não gostar de ler. E sabemos: - não gostam de ler porque não foram motivados, não foram ensinados. Leitura se ensina sim, e ensinar é democratizar a experiência da leitura. É portanto, responsabilidade docente promover a leitura e assegurar a todos, o direito de ser um indivíduo atuante no mundo em que vivemos.

Diga-nos o que achou do post: