adplus-dvertising

A Importância da Educação Financeira na vida do cidadão.

Rio, 09/01/2022.

Escrito pelo colunista: Antonio Chaves.

 

A Importância da Educação Financeira na vida do cidadão.

 

Podemos perceber que mesmo com a lenta recuperação econômica, as famílias ainda enfrentam dificuldades para honrar seus compromissos em dia. O brasileiro, ainda não aprendeu a gerenciar melhor as suas finanças. Segundo relados, a partir do início de 2020, toda escola brasileira terá que tratar de educação financeira, na Educação Infantil e no Ensino Fundamental.  Deve ser conduzido de forma que, envolva outras disciplinas para além da matemática.

O Desenvolvimento Econômico, mostra que mais da metade dos jovens brasileiros não tem conhecimentos básicos sobre como lidar com dinheiro. Os jovens brasileiros chegam à fase adulta com grande risco de ficar inadimplentes.

Quebrar esse ciclo é possível, e uma das estratégias é, trabalhar a educação financeira em escolas, para que o hábito de cuidar do próprio dinheiro seja incorporado pelo resto da vida.

É como a educação ambiental, o quanto mais cedo for introduzida, maior será o retorno, porque serão formadas com essa consciência.

Serão implementadas estratégicas nacionais na educação: – Uma política pública para fomentar o ensino de educação financeira.

Ao analisar um projeto em escolas brasileiras, constatou que os alunos tinham se tornado mais conscientes em relação às próprias finanças. Com a incorporação da educação financeira em sala de aula, os pais devem observar se os filhos estão discutindo dinheiro na rotina escolar.

Trabalhar o assunto não é só falar de porcentagem. Passa por reavaliar o valor do dinheiro, planejar o orçamento e discutir empreendedorismo.

O tema não precisa ser ensinado em uma disciplina específica, pode ser trabalhado em projetos, inclusive em matérias como história ou sociologia. (Namastê).

 

 

 

 



Nasci em 1959 no Rio de Janeiro e venho de família humilde. Lutei muito para chegar onde ainda contínuo chegando. Comecei a me interessar pela poesia ainda na adolescência. Onde eu escrevia pequenos trechos. Foi quando comecei a sentir uma vontade enorme de me expressar através desses trechos. Comecei a sentir uma profunda sintonia com o meu modo de ver e de sentir. Desses pequenos trechos, fui juntando cada frase que escrevia, até surgir a arte da poesia na minha vida. A partir desse momento, comecei a participar de vários Concursos Literários. E não parei por aí. Comecei a participar de Antologias Literárias, ganhando vários Certificados de Participações. A minha primeira antologia foi com o tema "MEU BRASIL BRASILEIRO" (2013), a segunda com o tema "BRASIL de A a Z" (2014), a terceira com o tema "FAZENDO AMOR COM A POESIA" (2015), a quarta com o tema "TODAS AS MULHERES DO MUNDO" (2017), a quinta com o tema "ANUÁRIO DE ESCRITORES 30 ANOS" (2018). O meu primeiro livro publicado Infanto-juvenil, o INDIOZINHO GUARANI (2018). Estou indo para o meu segundo livro, que está em análise na editora. Está pensando que estou com a intensão de parar? Está redondamente enganado. Não tenho esta intenção. Estou escrevendo outros. Me formei em Bacharel em Publicidade e Propaganda. Fiz o curso Técnico de Enfermagem. E o destino quis, que eu cuidasse de vidas humanas. Sou Servidor Público Estadual. Escritor. Colunista do jornal de grande expansão no Mato Grosso do Sul. Colunista do site Pensar bem viver bem em São Paulo. Colunista da Revista Statto no Rio Grande do Sul. Eu me defino como um ser em mutação porque estou em busca de ideias inovadoras para minha vida. Quero concluir, lembrando a todos, que a figura do professor é a principal referência de nossas vidas e precisamos garantir o direito à leitura no sentido geral. Que esta minha história de vida, possa incentivar aos mais jovens, que dizem não gostar de ler. E sabemos: - não gostam de ler porque não foram motivados, não foram ensinados. Leitura se ensina sim, e ensinar é democratizar a experiência da leitura. É portanto, responsabilidade docente promover a leitura e assegurar a todos, o direito de ser um indivíduo atuante no mundo em que vivemos.

Diga-nos o que achou do post: