A foice e o martelo são piores que a suástica

Adolf Hitler (1934-1945 na Alemanha), Josef Stálin (1922-1953 na União Soviética), Mao Tsé-Tung (1949-1959 na China) , Pol Pot (1963-1981 no Camboja), entre outros, o que eles tem em comum? Todos eles foram lideres de seus países no século 20 e os responsáveis por genocídio contra seu próprio povo ou minorias. Mas deles quais seguem as ideologias comunistas? Dos citados três dos quatro seguiram o comunismo e apenas Adolf Hitler com o nacional-socialista não seguiu fielmente, o que se pode dizer ser uma terceira via.

Não devemos nos esquecer de jamais dos horrores causados pelos nazistas, mas nada se compara aos assassinatos causados na ideologia da foice e do martelo, no século 20 houve dois genocídios que todos devem conhecer, o holocausto que era chamado de solução final pelos nazistas e o holodomor que foi causado pela política de Josef Stálin na Ucrânia.

Em vários países como Alemanha, Polônia, Áustria, Republica Checa e Eslováquia, são exemplos de locais aonde sustentar ou fazer apologia ao nazismo é crime punível de prisão, dado o fato de que na segunda guerra mundial os governos dos mesmos ou eram fantoches da Alemanha ou foram coniventes com o genocídio de 20 milhões de pessoas, todos que possuem o mínimo de humanidade entende o quão abominável é esta ideologia.

Mas o questionamento que quero chegar é por que uma ideologia que foi responsável pela morte de centenas de milhões de pessoas não recebe um tratamento igual ou mais pesado?

Os atos que Adolf Hitler cometeu empalidecem os ocorridos na China, União Soviética e Camboja, apenas para ficar entre os citados acima, entre o anos de 1917 e 1987 na união soviética foram assassinados 67 milhões de pessoas1, Na China entre 1949 e 1987 estima-se que foram mortos cerca de 76 milhões de chineses, mas alguns historiadores dizem que o numero pode chegar a 100 milhões2 e durante o Khmer Vermelho no Camboja entre 1975 e 1979 assassinou cerca de 3 milhões de cambojanos, Pol Pot chegou ao ponto de ter como alvos pessoas que usassem óculos, isso mesmo, você que usa óculos como eu seria perseguido também3.

Em um total, os regimes comunistas assassinaram mais 100 milhões por inanição, epidemias, esfaimadas ou como consequência das políticas agrícolas marxistas no século 20, mais que as duas guerras mundiais, guerra do Vietnã e guerra da Coreia juntas, cerca de 85 milhões (incluindo militares e civis).

Eu acredito que os apoios obtidos por partidos comunistas não vem por falta de conhecimento, já que na historia podemos ver que os gulags soviéticos, campos de concentração durante o holocausto e até mesmo a revolução cultural que ocorreu na China são mundialmente conhecidos, principalmente pelo advento da internet que hoje nos mostra um tanto de informações que antes eram difíceis de obter, eu creio que o apoio vem pelo fato da doutrinação e falta de um senso critico como Olavo de Carvalho disse em seu artigo publicado na revista Bravo! no ano de 19994 :

Se queremos preservar e desenvolver a inteligência do nosso povo, em vez de a esfarelar em tagarelice estéril, o que temos de importar não é a novidade: é toda a História, é todo o passado humano. Temos de espalhar pelas ruas, pelos cartazes, pelos monumentos, pelas livrarias e pelas escolas as lições de Lao-Tsé e Pitágoras, Vitrúvio e Pacioli, Aristóteles e Platão, Homero e Dante, Virgílio e Shânkara, Rûmi e Ibn ‘Arabi, Tomás e Boaventura.

Quem, antes de fortalecer a inteligência juvenil com esse tipo de alimento, a perturba e debilita com novidades indigeríveis, é nada menos que um molestador de menores, um estuprador espiritual. E, se o faz com intuito político ou comercial, o crime tem ainda o agravante do motivo torpe.

No meio “intelectual” brasileiro (intelectual esta entre aspas pelo falto de que no Brasil os youtubers e pessoas sem o mínimo de conhecimento e lucidez querem entrar para historia ao lado de pessoas como José Bonifácio de Andrade e Silva, Dom Pedro I, Dom Pedro II, Machado de Assis, Carlos Gomes, entre outros como grandes intelectuais brasileiros), tanto no acadêmico quanto no jornalístico tem quem defenda com orgulho o comunismo, exemplo disso é o Partido Comunista Brasileiro e o Partido Socialismo e Liberdade – um pleonasmo engraçado esse, pois não existe liberdade no socialismo – e fomentam de tal forma as ideias socialistas que acabam convencendo quem está indeciso no seu voto durante as eleições.

Em quase todos os países do mundo, com exceção de países do antigo Bloco Leste como a Polônia, Geórgia, Hungria, Letônia, Lituânia, Moldávia e Ucrânia, ainda é permitido fazer apologia à foice e o martelo como de seus respectivos símbolos e bandeiras sem sofrer qualquer ação criminal, já que quem nunca sofreu com esse pesadelo ou não estudou historia não possui noção de quão mal é isso. Na Polônia que sofreu tanto com o nazismo quanto com o Socialismo considera essa ideologia totalitária e criminosa que quando um adepto chega ao poder a única coisa que fará é o mal.

Nas eleições de 2018 para presidência do Brasil o partido do PCdoB que disputou com um vice na chapa do PT é historicamente maoísta. Seja nos meios políticos e sindicais, nos estudantis e culturais, o fato é que sempre houve uma grande tendência para ideias comunistas/socialistas de um governo que causa miséria humana e sua degradação moral.

Portanto, por que duas ideologias igualmente odiosas são tratadas de maneira tão diferente, uma é condenável a um julgamento e outro se apoiada é considerado intelectual?

A resposta está na percepção de suas virtudes, o nazismo pregava a superioridade de uma raça sobre todas as outras, tratando de uma ideologia supremacista e anti-individuo, de forma a usar a violência para chegar a seus objetivos de exterminar os ditos “inferiores” por eles, por conta disso são vistos como odiosos e malignos. Sendo assim, não tem como um neonazista dizer de forma justificável que o que aconteceu na Alemanha não foi um nazismo verdadeiro.

Já o mesmo argumento não vale para o comunismo. Aparentemente o argumento de que não foi tanto o comunismo verdadeiro é uma desculpa para sempre tentar a todo o momento implantar isso nos governos. Os militantes de esquerda tem sob si um enorme leque da qual se abrigam os mais variáveis tipos de comunistas: os Maoístas, Stalinistas, Trotskismo, marxismo clássico, anarco-sindicalistas e até o socialismo light.

Diante de quaisquer tragédias ou crises criadas os comunistas sempre usufruíram de um tipo de indulto para praticar suas atrocidades, sempre usando a desculpa de que Marx foi deturpado ou de que não é o comunismo verdadeiro, tal “erro” de governo seria apenas um trajeto torto – quando não uma sabotagem imperialista – para a tão sonhada utopia comunista.

“O comunismo de verdade nunca foi tentado” – gritam os apoiadores, a cada nova geração eles continuam convocando grupos e dizendo que são os pioneiros dessa ideologia e obtém um passe livre para se esconderem ou negar os horrores de um passado não muito distante, agindo de tal forma eles podem, após cada fracasso continuar se apresentando como humanitários e que lutam pela libertação da classe proletária. A atual geração de comunistas esta sempre achando que ira implantar o sonhado comunismo real, e não as “tentativas” passadas, na pior das hipóteses, os militantes são vistos como pessoas ingênuas e bem-intencionadas.

Onde deve ser estabelecido o limite? O nazismo sempre esteve ligado profundamente ao holocausto e a segunda guerra mundial e o comunismo conseguiu se manter longe de suas tragédias. Na sociedade em geral é inaceitável a ideia de alguém andando pelas ruas com uma camiseta estampada o rosto do Adolf Hitler ou de Benito Mussolini, ao ponto de que a pessoa poderia ser linchada por esse fato, mas as estampa de Ernesto Che Guevara é amplamente aceita e considerada símbolo da resistência juvenil ao imperialismo americano.

Como disse uma vez o economista e filosofo politico Murray Rothbard5:

Não é nenhum crime ser ignorante em economia, a qual, afinal, é uma disciplina específica e considerada pela maioria das pessoas uma “ciência lúgubre”. Porém, é algo totalmente irresponsável vociferar opiniões estridentes sobre assuntos econômicos quando se está nesse estado de ignorância.

Temos que dizer da mesma forma para o comunismo, a historia comunista é tão sanguinolenta quanto à do nazismo, defender isso não é um ato de uma pessoa bem intencionada e muito menos ingênua. É hora de se desprender de seus símbolos e tratar quem defende o comunismo da mesma forma que tratamos o nazismo.

Para lembrar os esquerdistas de hoje que sentem um frio na espinha com a simples sugestão de que os ideais nazistas pouco se diferem dos comunistas, não é necessário defender conquistas de nações para ser considerado um tirano, basta acreditar na primazia de um estado sobre os direitos individuais humanos.

Que a ideia do socialismo  tenha sobrevivido por séculos é inegável, mas isso se deve a capacidade do ser humano imaginar aquilo que mais lhe agrada e faz com que se crie uma utopia em suas mentes que nunca se tornara realizável.

Mas mesmo por que após tudo isso que expus o comunismo ainda é aceitável, principalmente em países na qual nunca foram expostos a governos totalitários, vou listar apenas seis fatos que considero muito importante para que ainda haja pessoas que defendam isso.

Motivo um

De uma forma direta a ignorância esta ligada a falta do conhecimento histórico, ao passo que ambos os espectros políticos desprezam o nazismo e estão sempre pregando as lições imorais e históricas em seu legado, mas a diferença acaba por ficar explicita apenas quando a direita condena o comunismo, dado que os ideais comunistas dominam acadêmicos e educadores, nenhum deles se digna a aprender ou ensinar sobre os malefícios que o comunismo produziu.

Motivo dois

Que nada se compara ao holocausto isso é indiscutível, porque ele foi um ato de maldade pura que nos mostra que o ser humano pode cometer muitas atrocidades contra os seus semelhantes.

A perseguição de minorias, principalmente judeus no continente europeu e o envio de todos eles para os campos de concentração fr trabalho forçado e extermínio, foi algo sem precedentes tanto em números quanto em perversidade.

Os comunistas mataram muito mais, muito mais mesmo, mas jamais conseguiram se igualar aos nazistas em termos de sistematizar o extermínio de pessoas. A particularidade do Holocausto e a enorme atenção que dão corretamente ao fato ajudaram a garantir o topo para o nazismo, mesmo que a reputação do comunismo seja bem pior que a do nazismo.

Não defendo nenhuma ideologia, que fique claro isso, mas devemos procurar saber que as duas foram horríveis e o comunismo conseguiu exterminar muito mais pessoas.

Motivo três

O comunismo nada mais é que pura demagogia, eles tem por base uma ideologia totalitária que parecem bonitas e humanitárias para os leigos. O nazismo não, eles tem por base explicita as teorias mais atrozes que o ser humano possa defender.

São os intelectuais que escrevem a historia e no geral são seduzidos pela humanidade que a ideologia prega. Eles consideram que as ações são menos importantes que as intenções, por conta disso falam que no comunismo não cse cometem atrocidades e muito raramente atribuem as responsabilidades igual atribuem aos nazistas e ironicamente quando atribuem acabam por terminar com a frase “isso não foi comunismo verdadeiro, ele foi deturpado”.

Corretamente todos nos consideramos que os adeptos do nazismo foram consequências trágicas de uma lavagem cerebral do Estado a sua população, mas não se pode usar esse mesmo argumento para com o comunismo.

Motivo quatro

Os alemães ao fim da guerra e nos julgamentos de Nuremberg assumiram as responsabilidades pelo nazismo, expondo tudo que sabiam e tentando reparar seus erros. Já os soviéticos nunca assumiram e nem fizeram nada similar em relação aos horrores dos comunistas Lenin e Stalin, ambos ainda venerados na Rússia. As pessoas ainda tentam negar explicitamente e implicitamente o holocausto cometido pelos governos totalitários deles.

Já na China, se fez ainda menos, o governo sequer reconhece que seu “grande líder” Mao Tsé-Tung cometeu crimes contra a humanidade, ele ainda é venerado em toda a China, mesmo sendo considerado o maior homicida e escravizador Asiático e do Século 20.

Enquanto China, Rússia, Vietnã, Cuba e Coreia do Norte não expuseram e admitirem todas as atrocidades que cometeram contra seu povo com o pretexto de defender o comunismo as pessoas continuaram a defender essas ideias, já que seus crimes são menos conhecidos que os dos nazistas.

Motivo cinco

Esses governos matavam majoritariamente povos dentro de seus territórios, ou seja, matavam seu próprio povo.

Na opinião mundial a morte de indivíduos que pertencem ao mesmo grupo acaba por serem menos dignos de atenção do que a morte de indivíduos de fora da fronteira, por exemplo, os negros mortos pelo grupo terrorista Boko Haram no norte da Nigéria tem menos atenção da opinião mundial do que os americanos mortos pelo ataque ao World Trade Center nos Estados Unidos em 2001 pelo grupo Al-Qaeda.

Motivo seis

Na visão de alguns dos defensores do comunismo a ultima guerra considerada justa foi a guerra contra o nazismo, Segunda Guerra Mundial.

Não leva esse termo os conflitos contra regimes comunistas como a guerra do Vietnã, aonde os americanos lutaram contra os vietcongues para livrar o país das garras comunistas, ela foi considerada imoral e a guerra contra o comunismo Norte Coreano é simplesmente ignorada, vide que em sua maioria não sabem que até os dias atuais nunca foi assinado um tratado de paz entre as nações e sim apenas um armistício.

 

 

Enquanto seus defensores continuarem a recusar tais fatos ainda continuará a viver em um mundo confuso moralmente na qual a defesa do comunismo possa ser feita abertamente sem sequer sofrer alguma sanção civil ou criminal.

No caminho na qual estamos trilhando, em nome do bem comum parece familiar, pergunte a si mesmo ou a seus amigos: você esta disposto a ter um maior controle governamental em nossas vidas?

Com certeza pensamos ser melhor que os alemães que deixaram Hitler perpetuar no poder e acabar com o país, quanto a isso digo apenas uma coisa: se trilharmos esse caminho nos seremos piores.

 

 

 

 

Notas

1 O Livro Negro do Comunismo, 1999, Bertrand Brasil, de Stéphane Courtois, Nicolas Werth, Jean-Louis Panné, Andrzej Paczkowski, Karel Bartosek e Jean-Louis Margolin

2 O horror da China comunista e seus pavorosos campos de morte, 2020, Instituto Mises Brasil, Lew Rockwell.

3 Marxismo: a máquina assassina, 2013, Instituto Mises Brasil, R.J Rummel.

A origem da burrice nacional, 1999/2000, Revista Bravo!, Olavo de Carvalho

5 A propriedade privada e o desejo de morte dos anarco-comunistas, 2009, Instituto Mises Brasil, Murray Rothbard.



Paranaense, Estudante de ciências econômicas e historia, formado em Logística e MBA em gestão de projetos. Leitor assíduo de filosofia e politica.

Diga-nos o que achou do post: