A “filosofia” da inveja

Todo ser ignorante, inculto, de baixo Qi, tem uma forte tendência a ser autoritário. O mais ditador de todos é sempre o menos inteligente do seu meio.

Uma pessoa que não possui capacidade para pensar, planejar, organizar, empreender, e se utiliza de um discurso de força para oprimir quem é contrário a sua opinião, pois só sabe mandar e acha que os outros são seus subordinados. E como ele é invejoso também, por ser um fracassado na vida, começa a pensar que outra pessoa não mereça possuir o que tem, ser o que é, em sua riqueza cultural, espiritual e/ou financeira. Desse modo, acredita que só ele possui o mérito para poder ser alguém. Mesmo que ele nunca tenha trabalhado, estudado, corrido atrás de alguma forma honesta para conseguir realizar os seus sonhos.

É justamente nesse esgoto social que nasce o socialismo. Assim como isso é uma tentativa de reverter a ordem natural das coisas, as leis do universo. É uma tentativa desonesta de se apoderar do que não é seu, independente de partidos. Seja referente a qualquer pessoa sem partido, seja referente a qualquer massa da manobra, como um gado.

Seja de qual classe for, desde o mais humilde biscateiro, até o banqueiro bilionário corrupto ajudado por um governo. O sentimento coletivista forçado, o sentimento socialista sempre irá prevalecer como a justificativa da inveja.


Célio Azevedo é jornalista e filósofo graduado, além de docente superior pós-graduado, com MBA em Gestão de Negócios pela UCAM e MBA Executivo em Marketing pela UGF, número de registro: 28.046/RJ. É autor de "A Cobertura do JB e do Globo da Queda do Muro de Berlim (1989) e do Fim da URSS (1991)", "Manuscritos Poéticos", "Java para todos", "Músicas em Outros Idiomas", "Arte e Materialismo - Filosofia do Caos", em tcheco "Umění a Materialismus: Filozofie chaosu", "As Tecnologias da Comunicação e o Ensino Superior de Jornalismo", "A Educação planetária de Edgar Morin", "Gotterdamerung", trabalhou também no livro de contos "O Lado Sombrio" e, recentemente, em "Kritické Myšlení a Média". Também lançou os álbuns musicais de estúdio: "2012", "Mr. Fusion", uma ópera rock "Celio Azevedo's Scout - Scoutish: The XXI Rock Opera", "Espere o Amanhã", "Modern World", "2022", além de diversos singles e outras discografias alternativas. Nos anos 2000, ademais, estudou TI, Direito e Filosofia, além de lecionar linguagens de programação orientadas a objetos. Nos dias de hoje, ministra cursos e é empresário. Palestrante, periodista e escritor, atualmente analisa a realidade política nacional e internacional sob uma perspectiva própria.

Diga-nos o que achou do post: