A coragem para se autocurar

Quem vive nos caminhos da depressão, busca mesmo é um novo itinerário, sem dor. Mas não adianta fugir, sem entendê-la. A dor da depressão é a dor de uma alma que não está cumprindo sua missão, não está se expressando em toda sua verdade. É o que acredito depois de refletir, estudar e dialogar com outras pessoas que vivem essa dor e profissionais especializados.

A única forma de se curar é ir além dos medicamentos e terapias. É a cura que vem de dentro: o autoconhecimento, isto é, quando a gente se enxerga por inteiro e em profundidade. Quem sou eu, o que eu quero, quais são meus sonhos? É urgente responder a essas perguntas e encontrar coragem para viver as respostas. “Ah, queria tanto ser dançarina, desde pequena, mas isso é coisa da minha cabeça, não tenho mais idade pra isso, nada mais posso fazer…” É preciso reagir: você pode fazer aulas de dança, você pode sair aos finais de semana pra dançar, você pode dançar no banho, pode assistir filmes de dança… enfim, comece a viver esse sonho! Seja ele qual for…

Fácil é falar… realmente falar é fácil. Mas quem disse que a vida é fácil? É preciso coragem, como já dizia o grande escritor Guimarães Rosa:

“O correr da vida embrulha tudo,
a vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem.
O que Deus quer é ver a gente
aprendendo a ser capaz
de ficar alegre a mais,
no meio da alegria,
e inda mais alegre
ainda no meio da tristeza!
A vida inventa!
A gente principia as coisas,
no não saber por que,
e desde aí perde o poder de continuação
porque a vida é mutirão de todos,
por todos remexida e temperada.
O mais importante e bonito, do mundo, é isto:
que as pessoas não estão sempre iguais,
ainda não foram terminadas,
mas que elas vão sempre mudando.
Afinam ou desafinam. Verdade maior.
Viver é muito perigoso; e não é não.
Nem sei explicar estas coisas.
Um sentir é o do sentente, mas outro é do sentido”.

Palavras maravilhosas, não é? Não estamos prontos, estamos sempre mudando. Pense nisso. Tente pensar em você, no que gosta, no que gostaria de fazer… nem que seja 10 minutos por dia, no banho… Fica minha sugestão para hoje: faça algo que você gosta. Só hoje. Esqueça tudo e faça. Coragem! Pode ser algo bobo, mas que seja importante pra você. Fazer um bolo, dançar um pouco, cantar aquela música antiga, jogar bola na garagem… enfim… uma pequena ação pode fazer toda a diferença! Coragem! Uma caminhada só começa com um primeiro passo…



Carioca apaixonada pelo mar e pelas montanhas, hoje vive em Belo Horizonte e é mineira de coração. Ama livros, literatura, cinema e música. Vive uma busca constante em aprender e explorar o mundo, mas cada vez mais se volta para o autoconhecimento e a autocura. Escreve desde sempre: crônicas, resenhas, artigos literários e artigos diversos. Já foi revisora de livros e professora. Agora dedica-se a ler e escrever.

Diga-nos o que achou do post: