25 Anos Saudosos de Ayrton Senna

    Após 25 anos do falecimento do piloto, o “Senna Day” em Interlagos homenageou o piloto brasileiro com itens inéditos.

    No último dia 1º de maio, completaram-se 25 anos sem que nos finais de semana a grande maioria dos brasileiros se sentassem em frente à televisão para acompanhar o piloto brasileiro de “Fórmula 1Ayrton Senna da Silva ganhar GPs pelo mundo afora.

    O evento em Interlagos servirá como homenagem ao brilhante piloto brasileiro e virá a expor esse ano, itens pessoais do piloto tais como capacetes, o “kart 9” usado no Mundial de Kart de 1981 e macacões.

Em uma carreira que desfilou seu talento de 1984 a 1994 pelas equipes Toleman, Lotus, McLares e Williams, o piloto brasileiro acumulou 162 participações, 41 vitórias, 80 pódios, 3 Campeonatos Mundiais (1988, 1990 e 1991), 65 pole positions e 19 voltas mais rápidas. Estreou no GP do Brasil em 1984 e obteve sua primeira vitória no GP de Portugal no ano seguinte. Sua última vitória ocorreu no GP da Austrália em 1993.

    Senna iniciou sua carreira no kart em 1973 e conseguiu destaque em 1983 atuando pelo Campeonato Britânico de Fórmula 3, batendo várias marcas expressivas e a Toleman-Hart o contratou para atuar em 1984. Na temporada citada, pontuou em 5 corridas e obteve treze pontos na nona colocação geral. Atuando pela Lotus-Renault na temporada seguinte, obteve seis vitórias em três temporadas.

    Já em 1988, foi para a equipe McLaren e juntou-se àquele que seria seu maior rival em sua carreira, o francês Alain Prost. Em 1988, a dupla faturou 15 dos 16 GPs disputados e Senna conquistou seu primeiro título mundial.

    Em 1990, o brasileiro conquistaria seu tricampeonato e seria o piloto mais jovem a conquistar um tricampeonato na categoria até o ano em questão.

    Atuando em sua terra Natal, o piloto obteve duas vitórias (1991 e 1993), um segundo lugar (1986) e um terceiro lugar (1990), além de seis poles positions.

    Destacava-se na condução por ser um piloto arrojado e acumular grande número de poles em sua carreira vitoriosa. Cabe destaque ainda para a atuação do brasileiro em asfaltos chuvosos, onde parecia conduzir seu carro sobre nuvens, pois a água não afetava seu desempenho na pista – a exemplo dos feitos nos GPs de Mônaco (1984) e Portugal (1985). Até o fim de sua carreira, ainda deteve o recorde de seis vitórias no badalado GP de Mônaco.

    Faleceu no GP de Ímola (San Marino), em 1994, onde perdeu o controle do carro na curva Tamburello e seguiu reto, batendo com estrondo contra o muro de concreto. Recebeu cuidados ainda na pista e foi levado de helicóptero para o hospital Maggiore de Bolonha, mas não conseguiu sobreviver ao acidente.

Veja mais:

GP 1000 da Fórmula 1

Ex-piloto austríaco falece aos 70 anos

 



Graduado em Administração na UFRRJ, Apaixonado por Futebol, Flamenguista por Opção, Geek por Natureza, Carioca de Nascimento, Amante de Livros, Cinéfilo, Curte Contar/Apreciar Boas Histórias e Experiências de Vida, Autor do livro "Veredas da Vida: Poéticos Conselhos" (Chiado Books), Sempre em Busca de Novos Objetivos.

Diga-nos o que achou do post: