Quando é indicada a Terapia por Ondas de Choque (TOC)?

Pessoas que sofrem com dores persistentes em músculos esqueléticos, como as tendinites graves, ou dores musculares crônicas, têm uma nova opção de método para aliviar esses incômodos. É a Terapia por Ondas de Choque.

Como é feita a TOC?

Ao contrário do que o nome sugere, não há o uso de corrente elétrica no tratamento. O que há, na verdade, é o uso de energia mecânica, que penetra no tecido em questão e faz com que microbolhas se rompam, partindo também o músculo inflamado. Este processo é denominado de cavitação.

“Este processo é interessante, pois faz com que substâncias anti-inflamatórias sejam liberadas no local, ou seja, a dor é diminuída naturalmente. Além disso, a circulação sanguínea é estimulada na região, fazendo com que o processo de cura seja processado natural e progressivamente”, diz o Dr. Renato Bastos, ortopedista e sócio da Orto Center, uma clínica ortopédica em Jacarepaguá que realiza este tipo de tratamento.

As vantagens da TOC

O médico ressalta que uma das vantagens da terapia é o fato de ela não ser invasiva. Ou seja, o paciente não precisa ser internado, tampouco a sua rotina é atrapalhada. Também não há sangramento visível e nem cicatriz. Ele também lembra que o retorno é positivo em cerca de 70% dos casos.

Entretanto, o Dr. Renato finaliza com um aviso: “A sessão é rápida, cerca de 30 minutos no total. Porém ela pode ser um pouco dolorosa, afinal estamos falando de microrrupturas do músculo. Mas, caso o paciente sinta algum incômodo devido ao tratamento, ele pode passar gelo ou usar algum analgésico comum. Porém, como é por um breve período de tempo, acredito que valha a pena passar por meia hora sentindo uma dor suportável, a fim de não sentir mais as dores incômodas por um bom tempo.”

0