Hipersensibilidade a contraste radiológico

Hipersensibilidade a contraste radiológico

Atualmente, vários exames são realizados com o uso de contraste radiológico. Este agente pode levar a reações adversas imprevisíveis, de intensidade leve, moderada ou grave. “Elas podem ocorrer já na primeira hora de infusão da droga (reação imediata), ou de uma hora até sete dias depois do uso do contraste (reação tardia)”, explica a Dra. Priscilla Filippo, alergista no Rio de Janeiro.

As reações podem ser causadas por mecanismos imunológicos e não imunológicos.
Com o advento de novos radiocontrastes, houve uma diminuição na incidência das reações de hipersensibilidade imediata, de 3.8-12.7% para 0.7-3.1%, e uma diminuição das reações adversas graves, de 0.1-0.4% para 0.01-0.04%.

Quais os sinais e sintomas que podem ocorrer em caso de reações após o uso de contrastes?

    • Coceira;
    • vermelhidão;
    • placas na pele;
    • inchaço nos lábios e pálpebras;
    • falta de ar;
    • náuseas;
    • vômitos;
    • queda da pressão arterial;
    • entre outros.

Quais são os fatores de risco para reações a contrastes radiológicos?

De acordo com a Dra. Priscilla, os fatores de risco são: história de reação prévia ao uso de contrastes, doenças renais, desidratação, alergia alimentar e a outros medicamentos, pacientes asmáticos, cardiopatas, lactentes e idosos apresentam maior risco de reações adversas.

Como é feito o diagnóstico?

História clínica minuciosa, exame físico e exames complementares quando necessários.

Em alguns casos, nos pacientes de alto risco, podemos usar pré-medicações (corticoide e anti-histamínicos) antes de realizar exames complementares com radiocontrastes, a fim de reduzir as reações adversas.

Bibliografia

1) Luis Felipe Ensina et al. Guia Prático de Alergia e Imunologia, Reações de hipersensibilidade a medicamentos – Parte III. Rev. Bras. Alerg. Imunopatol. 2009

2) So-Hee Lee et al. The efficacy of single premedication with antihistamines for radiocontrast media hypersensitivity. Asia Pac allergy 2016 Jul;6(3):164-167

3) Kim MH et al., Anaphylaxis to iodinated contrast media: clinical characteristics related with development of anaphylactic shok. PLoS One:2014 Jun 16;9(6):e100154.

1

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comments