A evolução do colchão

A evolução do colchão

Evolução dos colchões

Com o passar dos anos, o lugar onde dormimos foi se modificando para acomodar melhor nossas necessidades e ter o maior conforto possível. Esse último tornou-se um dos fatores que mais influenciou a evolução do colchão. No início, o homem não tinha muito conhecimento ou recursos e utilizava o chão para dormir, mas logo foi mudando a situação e começaram a ser criadas as primeiras camas. De juntar folhas e outros materiais naturais entre duas peles de animal, passou-se a dormir em uma de plataforma feita de ébano. Na era do Egito antigo, somente o rei tinha esse tipo de cama, o resto da população juntava pilhas de palmeiras e deitava acima delas.

“A sociedade romana é a primeira da qual se tem registro de utilização do colchão. Existia um processo: entrava-se em uma banheira com água morna e quando a pessoa ficava com sono era levada ao colchão, parecido com um berço de diversos tecidos luxuosos contendo penas e feno, depois era balançado até dormir”, explica Vivian Cardoso, da Euro Colchões. Não era acessível para todo mundo, só aquelas pessoas com dinheiro tinham a possibilidade de fazer isso. A partir de então, o colchão começou a se aproximar mais do modelo que temos atualmente, já que o estofado passou a ser de algodão.

O colchão como o conhecemos hoje

No advento da Revolução Industrial no século 19, foram criadas as molas em espiral feitas de aço como as que temos hoje. Daí em diante, o colchão só ganhou mais e mais popularidade. A primeira fábrica de molejo que abriu suas portas no Brasil foi em 1936, quase 80 anos depois da sua invenção. Nos anos 1950 surgiram diversas marcas de colchões para saciar a grande demanda que existiu nessa época.

No mercado brasileiro são encontradas muitas opções atualmente, porém nem todas são da qualidade que você procura. Segundo Vivian Cardoso, gerente de marketing da Euro Colchões, “comprar colchão não é uma tarefa fácil. É preciso pesquisar o modelo e o tamanho que mais se adequem às suas necessidades, bem como conhecer as tecnologias que fazem um colchão ter um custo x benefício mais positivo em relação a outro tipo”.

Hoje, existem camas de água, motorizadas e até de ar o que nos faz pensar: como serão os colchões do futuro?

0