Dia 25 de julho – Dia do Motorista

A inspiração é no dia de São Cristóvão, santo católico que, segundo a lenda, carregou Jesus nas costas. A data inspira comemorações por parte de cooperativas de transporte e carga, que fazem ações de conscientização da importância do ato de dirigir. Quem pratica a direção como meio de vida sabe exatamente da necessidade de se ter um trânsito cada dia mais coeso.

Você, apaixonado pelo seu automóvel, que usa esse meio de transporte como o principal meio de locomoção, sabe como cuidar de si e dos demais presentes no trânsito? O dia 25 de julho deve ser mais do que um dia comemorativo, deve ser um dia de ações de melhoria na segurança e no pensamento de cada motorista, seja ele profissional ou não.

Como melhorar a segurança nas estradas?

A primeira questão a ser resolvida é a mentalidade dos motoristas,que precisam passar a respeitar os limites de velocidade e demais leis do CTB sem a necessidade de ações punitivas como multas. A busca da sociedade deve ser nessa linha de raciocínio.

Ações educativas por parte do governo devem superar as medidas punitivas e que visem apenas à arrecadação pública. É preciso trazer consciência autônoma para os motoristas, principalmente aos mais simplórios. Assim, todos farão um trânsito mais saudávele menos agressivo. Seguindo essa linha, o próximo entendimento é quanto à manutenção do equipamento.

Como pensar a manutenção do seu carro?

Se o motorista é consciente, ele sabe que ter o seu equipamento de trabalho ou mesmo de passeio em boas condições faz parte da segurança de todos, e sua própria. Por exemplo, transitar com os pneus carecas é uma atitude que coloca todos em risco, já que altera completamente as reações do carro.
O especialista Danilo Vasconcelos, da Dinamicar Pneus, empresa carioca de manutenção automotiva, fala sobre a necessidade de revisões periódicas, com foco nos pneus: “A cada dia a tecnologia cria elementos que ajudam a tornar os carros mais seguros. Entretanto, o pneu, elemento bem simples do seu carro, é uma das mais importantes. Sem condições de uso, ele aumenta a distância de frenagem, derruba a estabilidade e aumenta o risco de uma aquaplanagem. Ou seja, é preciso começar dos elementos mais simples”, completa o especialista.

1