Criança de 2 anos morre após ingerir achocolatado

Na quinta-feira (25), uma criança de apenas 2 anos de idade morreu em Cuiabá – Mato Grosso após ingerir um achocolatado. Rhayron Christian da Silva Santos, apresentou quadro de insuficiência respiratória, cerca de 5 minutos após ingerir o produto, eliminando secreções com sangue pela boca e pelo nariz. Rhayron faleceu cerca de 15 minutos após a ingestão do produto.

Segundo apurado, o pai de Rhayron havia comprado uma caixa do produto ‘Itambézinho’ , fabricado por Itambé Alimentos, no dia anterior (24) de um morador do bairro, com histórico de uso de drogas e prática de atos inflacionais na região. Após o ocorrido, não foi mais visto pelo bairro.

O Achocolatado ficou na geladeira durante toda a noite e por volta das 9h de quinta-feira (25), a mãe de Rhayron abriu as embalagens para dar para a criança, chegou a tomar um pouco deu o restante ao menino.

A mãe de Rhayron e um amigo da família que também ingeriu uma pequena quantidade do produto, apresentou náuseas e vômito.

A suspeita de envenenamento envolvendo o produto provocou a interdição dos lotes pela vigilância Sanitária Estadual, segundo a ANVISA, foi determinado nesta segunda-feira (29/8), a interdição cautelar do lote M4 da bebida láctea Itambezinho, sabor chocolate, 200ml, fabricado por Itambé Alimentos S/A. O achocolatado é válido até 21 de novembro de 2016.

Interdição cautelar

A medida, que está descrita na Resolução 2.333/2016, com retificação publicada nesta terça-feira (30/8), foi tomada em razão do falecimento de uma criança após a ingestão do produto em Mato Grosso. A Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica) apura as causas da morte. A suspeita de envenenamento provocado por terceiros também é avaliada.

A Resolução vigorará por 90 (noventa) dias e poderá ser suspensa caso não sejam confirmadas irregularidades.

 

Muitos sites, redes sociais e portais de notícias estão cometendo o erro em afirmar que o produto em questão se trata do achocolatado ‘Toddynho’ fabricado pela Pepsico , porém, este produto NÃO tem associação nenhuma com o ocorrido. Justiça seja feita.

0